RESENHA | "Tolkien" retrata a vida do criador de "O Senhor dos Anéis" em filme mediano • MAZE // MTV Brasil
FilmesResenhas

RESENHA | “Tolkien” retrata a vida do criador de “O Senhor dos Anéis” em filme mediano

Luiz Henrique Oliveira260 views
RESENHA | "Tolkien" mostra a vida do gênio criador de O Senhor dos Anéis com marasmo

“Tolkien”, o filme biográfico que mostra a vida do genial criador de “O Senhor dos Anéis”, criou expectativa quando anunciado. Dessa forma, fãs da saga literária mais famosa do mundo teriam a oportunidade e entender melhor a história do escritor responsável por ela. A palavra é essa mesmo: teriam. Quem esperava por um filme completo quebrou a cara.

LEIA MAIS

“Midsommar – O Mal Não Espera a Noite”: veja o primeiro trailer nacional do suspense
“Era uma Vez em Hollywood”: Segundo trailer do novo filme de Tarantino é divulgado
“A Gente Se Vê Ontem” Explicado: o que o final do filme quis dizer
ESTREIA NETFLIX | “A Gente Se Vê Ontem” é excelente e expõe críticas sociais válidas

O roteiro de “Tolkien” começa na infância e termina na fase adulta do escritor. Mostra, portanto, a sua formação depois de ter perdido os pais e separado dos irmãos. Morando em um abrigo para órfãos criado por uma abastada senhora, ele estudou várias línguas e descobriu sua vocação: ser professor. Algum tempo se passa, e acompanhamos um jovem adulto sendo professor, e também alistado para lutar na Primeira Guerra Mundial. Pouco se vê sobre o processo criativo de Tolkien. Na realidade vemos sua formação como pessoa. Inclusive, falando sobre seu primeiro amor, Edith.

"Tolkien" poderia ser excelente. Só consegue ser mediano. Boas imagens, mas não salva um roteiro pedestre e direção frouxa.De certa forma, “Tolkien” é frustrante. Não só por não mostrar o período que os fãs mais gostariam de ver – a criação de suas histórias principais. Mas também por dar muita ênfase a um período não muito interessante de sua vida. Isso faz com que o longa se torne uma obra arrastada, chata mesmo. É complicado chegar até o fim. Dessa forma, pouco consegue ser salvo.

A direção quadrada e o roteiro conservador não conseguem eclipsar o talento de Nicholas Hoult, porém. O ator entrega uma atuação consistente, bem como aparenta fazer de tudo para salvar o trabalho como um todo. Nem sempre consegue.

Em resumo: “Tolkien” poderia ser excelente. Só consegue ser mediano. Boas imagens, mas não salva um roteiro pedestre e direção frouxa. Assim, o filme decepciona bastante. Os fãs de Tolkien mereciam mais. Muito mais.

Veja, no vídeo abaixo, uma crítica completa sobre “Tolkien”.

 

Luiz Henrique Oliveira
Nasceu no interior de São Paulo em 1986 e escreve sobre cinema em blogs desde 2004. Curte drama, comédia e ficção científica, mas ama mesmo O Poderoso Chefão. Tem interesse no mundo geek, em música brasileira e pode ser facilmente confundido com o Chico Bento pelas ruas da capital paulista.