ESTREIA NETFLIX | "A Bruxa - Parte 1": A Subversão parece terror, mas é um ótimo filme de ação • MAZE // MTV Brasil
FilmesResenhas

ESTREIA NETFLIX | “A Bruxa – Parte 1”: A Subversão parece terror, mas é um ótimo filme de ação

Luiz Henrique Oliveira2072 views
A Bruxa - Parte 1: A Subversão parece terror, mas é um ótimo filme de ação - Foto: Reprodução/Netflix

Quando se lê um título chamado A Bruxa – Parte 1: A  Subversão, a primeira coisa que se pensa é em filme de terror. No entanto, o longa sul-coreano pode ter suas pitadas nesse gênero, mas não apenas isso. Na verdade, trata-se de um filme de ação – e dos bons.

O longa conta a história de uma garota que sobrevive a um massacre em sua infância. Ela consegue escapar por pouco, e foge para a floresta. Pouco tempo depois, é descoberta e adotada por um casal, que a cria como se fosse sua filha biológica. Um tempo depois, eles começam a passar por dificuldades: o pai com problemas de dinheiro; a mãe com sintomas de Alzheimer. Dessa forma, a garota precisa achar um meio de conseguir ajudá-los. Inspirada por um amigo, ela entra em um concurso de canto, onde começa a se dar bem. Além disso, também é tida como ilusionista, já que consegue fazer objetos levitarem. Porém, esses truques não são truques: ao encontrar um homem no metrô que a chama de bruxa, a sua vida muda drasticamente.

A Bruxa – Parte 1: A Subversão tem uma história que tem tudo para cativar o espectador mais exigente. Sendo uma produção asiática, também pode se esperar uma bela produção. Além, claro, de uma coreografia de luta no mínimo impecável. Tudo isso é possível encontrar neste longa.

Para entender a crítica completa do filme A Bruxa – Parte 1: A Subversão, veja o vídeo abaixo com a opinião do canal Cinco Tons, parceiro do MAZE, em que eles explicam por que este é um dos melhores lançamentos desse começo de mês na Netflix:

Luiz Henrique Oliveira
Nasceu no interior de São Paulo em 1986 e escreve sobre cinema em blogs desde 2004. Curte drama, comédia e ficção científica, mas ama mesmo O Poderoso Chefão. Tem interesse no mundo geek, em música brasileira e pode ser facilmente confundido com o Chico Bento pelas ruas da capital paulista.