ESTREIA NETFLIX | "O Menino que Descobriu o Vento" emociona na medida certa • MAZE // MTV Brasil
FilmesResenhas

ESTREIA NETFLIX | “O Menino que Descobriu o Vento” emociona na medida certa

Luiz Henrique Oliveira6752 views

O Menino que Descobriu o Vento” é a estreia do ator Chiwetel Ejiofor na função de diretor e roteirista, e já podemos dizer que ele se deu muito bem nessas funções. A história mostrada no longa pode parecer até meio convencional e clichê. No entanto, é a forma com que ela é construída que tem a capacidade de encantar os espectadores e levá-los às lágrimas. Ejiofor, nesse sentido, mostra que tem bastante talento para emocionar o público além dos seus dotes como ator dramático.

Dotes esses que ele também mostra ao co-protagonizar “O Menino que Descobriu o Vento”. Porém, ele é só uma peça de apoio para Maxwell Simba. O garoto interpreta o personagem principal do longa-metragem, William Kamkwamba. O menino é um achado e, certamente, tem agora um belíssimo cartão de visitas para mostrar aos executivos das produtoras quando for procurar um novo papel em sua carreira.

 

Uma ideia simples e genial

“O Menino que Descobriu o Vento” conta a história de William, um garoto que mora com sua família em uma aldeia pobre em Malauí. O lugar é devastado pela seca, que leva fome e miséria para a população local. Lá, eles dependem mais de ajuda externa do que daquilo que conseguem produzir. Isso porque, por conta do terreno arenoso onde vivem, é muito difícil fazer qualquer tipo de plantação – a não ser em épocas específicas.

O pai de William, um homem teimoso chamado Tyrell, sabe dessa situação e tenta não mostrar desespero na frente do filho. Entretanto, ele eventualmente ouve os lamentos de seu pai e sua mãe por entre as portas da pequena casa onde habitam. Ainda assim, William vai para a escola com os poucos recursos que seus pais conseguem juntar. Dessa forma, esperam que ele, que sempre foi muito inteligente, possa se formar e ter um futuro melhor. No entanto, durante seus estudos, William acredita ter encontrado uma forma de ajudar a população da aldeia. A ideia parece surreal: construir uma estação de energia eólica usando apenas o ferro velho disponível.

 

“O Menino que Descobriu o Vento” é um grande drama

No entanto, quem realmente chama a atenção e literalmente rouba a cena é Maxwell Simba. O garoto é quem interpreta o pequeno gênio William Kamkwamba. Ele consegue passar a agonia de seus dias em um ambiente pobre e sem perspectivas de futuro. Além disso, também mostra o sofrimento de não conseguir ajudar seus pais a ter uma vida mais digna. Simba consegue passar de forma competente a coragem e determinação de William. Afinal, isso é preciso para levar adiante algo que absolutamente ninguém acreditava que fosse dar certo.

“O Menino que Descobriu o Vento” é um grande drama, bem arquitetado. O filme consegue fugir, sempre que possível, dos clichês do gênero. Evidentemente, este é um filme de redenção. A gente sabe como ele vai terminar. No entanto, a jornada é que é interessante. Acompanhamos com apreensão o desenvolvimento social e político de Malauí, que são mostrados de forma tímida no começo, para depois aparecer com mais força – encontrando o clímax em uma cena de comício que se torna uma briga sangrenta.

No meio disso tudo, temos William e sua vontade de mudar a situação de seus pais e de todos em volta, e a sua briga para provar que a sua ideia pode ser realizada com muito pouco, trazendo desenvolvimento para a região. “O Menino que Descobriu o Vento”, portanto, é um filme completo que nos dá um panorama da situação de miserabilidade da população de Malauí, e como um pequeno gênio conseguiu reverter isso com uma ideia simples e genial.

Veja a nossa crítica completa aqui:

Luiz Henrique Oliveira
Nasceu no interior de São Paulo em 1986 e escreve sobre cinema em blogs desde 2004. Curte drama, comédia e ficção científica, mas ama mesmo O Poderoso Chefão. Tem interesse no mundo geek, em música brasileira e pode ser facilmente confundido com o Chico Bento pelas ruas da capital paulista.