Resenha: Lykke Li - "I Never Learn" • MAZE // MTV Brasil
MúsicaResenhas

Resenha: Lykke Li – “I Never Learn”

Leonardo Drozino893 views

I Never Learn é o terceiro álbum de estúdio da cantora Lykke Li e o último de uma trilogia conceitual sobre a vida de uma mulher de vinte e poucos anos e suas emoções. As composições do álbum continuam excelentes, mostrando um lado muito pessoal e vulnerável da cantora: a dor do fim de um relacionamento. Através da expressão de seu sofrimento ao longo das faixas, a cantora afirma que “encontrou a própria voz”. A sonoridade das músicas não difere muito da apresentada nos álbuns anteriores, embora a produção soe sofisticada e densa, com todas as camadas e camadas de instrumentos e vocais que amenizam um pouco do tom sombrio das letras.

As músicas formam um conjunto bem coerente e uniforme com a proposta do álbum, e ainda assim conseguem soar muito bem individualmente. Qualquer música escolhida pode ser um bom single, embora ‘Silver Line’, ‘Gunshot’ e ‘Heart of Steel’ se destaquem muito para isso. ‘Gunshot’, em especial, é uma música bem chamativa. Com refrão forte e vocais que lembram um pouco aos da Nelly Furtado, a música simplesmente gruda na cabeça, embora não seja nada feliz. Com certeza uma surpresa para quem ficou assustado com a escuridão e dramaticidade de ‘I Never Learn’, ‘Love Me Like I’m Not Made of Stone’ e ‘No Rest for the Wicked’, que foram divulgadas anteriormente.

Com certeza difícil de se ouvir logo de primeira, e ainda muito difícil de se gostar logo de cara, o disco é daqueles que se crescem aos poucos, na medida que o ouvinte se acostuma e se identifica com a proposta que a artista quis passar. No geral, I Never Learn é um ótimo registro na carreira praticamente impecável da cantora.

Leonardo Drozino
Escritor, redator do MAZE e cupido nas horas vagas.