Crítica: "A Culpa É Das Estrelas" (The Fault In Our Stars) • MAZE // MTV Brasil
FilmesPostsResenhas

Crítica: “A Culpa É Das Estrelas” (The Fault In Our Stars)

João Batista1558 views

A Culpa é das Estrelas conta a história de Hazel Grace e Augustus Waters, dois adolescentes na faixa dos 17/18 anos que se conhecem em um grupo de apoio a pessoas com câncer e, a partir daí, vivem uma bela e trágica história de amor. Entre encontros, mensagens, ligações e conversas profundas, os dois criam laços amorosos e vivem os mais belos momentos juntos.

Deixando a premissa da história de lado, a adaptação da obra de John Green é, no mínimo, encantadora. O roteiro foi fiel ao livro e a atuação dos protagonistas esplendorosamente monstruosa. A carga emocional que o filme demanda foi entregue perfeitamente por Shailene Woodley e Ansel Elgort, que brilham em seus papéis e comovem o telespectador de uma forma muito convincente – a química entre os dois é fenomenal, visto que trabalharam juntos na recém-lançada adaptação cinematográfica Divergente.

O filme peca um pouco por sua extensão em certas cenas, mas fora isso, Josh Boone (Ligados Pelo Amor) se mostra impecável na direção. Trilha-sonora, fotografia e demais categorias técnicas também são pontos plausíveis, dando a produção mais crédito e perfeição (visto que o filme é taxado constantemente como mais um blockbuster clichê feito pra arrecadar milhões).

Vale ressaltar um pouco mais a respeito da trilha sonora (que é cheia de nomes conhecidos) por conta de como as músicas ampliam ainda mais a dimensão de sentimentalismo do filme. Destaque para “Not About Angels” (Birdy) e “All Of The Stars” (Ed Sheeran), que não poderiam tocar em momento mais adequado do filme. Outras canções como as de Grouplove, Charli XCX e STRFKR também souberam ser bem aproveitadas.

Em suma, A Culpa é das Estrelas é um filme emocionante, trágico e intenso. Não é mais uma “romance genérico” entre tantos outros – é um dramalhão de encher os olhos e apertar o coração. Um retrato do que há de mais lindo no mundo: o amor, em sua pura e intocável essência.

E pra finalizar, deixo aqui uma dica que você provavelmente já deve ter recebido zilhões de vezes: quando for assistir, leve uma caixinha de lenços. Provavelmente você irá precisar. Okay?

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=lFOOZJ1UChg]

João Batista
Dono, idealizador e fundador do labirinto. Genioso, carioca que não sabe sambar e amante da cultura pop desde 1991.