Diário de Bordo CCXP 2017: A grande sacada da Spoiler Night • MAZE // MTV Brasil
GeekPosts

Diário de Bordo CCXP 2017: A grande sacada da Spoiler Night

Luiz Henrique Oliveira924 views

O MAZE foi convidado pela organização da CCXP 2017, mais uma vez, para fazer a cobertura do evento que está se consolidando cada vez mais como um dos maiores do gênero – não só na América Latina, mas no planeta inteiro. Milhares de pessoas visitaram os estandes dos estúdios, acompanharam os painéis e aproveitaram as lojas que levaram um sem-número de ofertas para os aficionados em cultura geek. Como bons convidados, estivemos em todos os dias do evento visitando tudo isso, e deixamos para contar as nossas impressões nessa série Diário de Bordo. E antes de qualquer coisa, devemos dizer: a CCXP 2017 já deixou uma saudade gigantesca. De longe, foi uma das melhores edições até o momento.

Nessa série, vamos contar tudo o que vimos e sentimos na Comic Con, desde a Spoiler Night – uma novidade implantada neste ano – até o último painel do último dia. Vamos compartilhar com você as emoções e as novidades para que, caso você não tenha ido nessa edição, se anime em não perder a próxima. Acredite, sempre vale a pena.

SPOILER NIGHT – A NOVIDADE QUE VEIO PARA FICAR

De todas as grandes ideias da Comic Con brasileira, a mais chamativa foi a Spoiler Night. Uma noite onde alguns privilegiados – aqueles que adquiriram ingressos mais caros, como os pacotes – puderam aproveitar toda a infraestrutura do evento uma noite antes da abertura oficial. Foi um grande acerto: quem teve a oportunidade de estar na São Paulo Expo na noite de quarta-feira, 6 de dezembro, aproveitou muito bem tudo que o evento pode proporcionar sem a eventualidade de uma fila ou da demora para se conseguir visitar algum estande.

Logo na entrada, a vista impressionou. O tamanho da CCXP é imponente, e ficou claro que um dia só (no caso, uma noite) não seria suficiente para visitar tudo. Tantas eram as atrações que era muito fácil se perder: o que visitar primeiro? Warner? HBO? Netflix? As lojas?

Tiramos esta noite para verificar tudo que poderíamos visitar nos dias seguintes, passando apenas superficialmente por cada um dos expositores. E só esse trajeto deu uma canseira enorme; até chegar ao último estande, já próximo da saída, foram quase duas horas de caminhada. Não haviam os tradicionais cosplayers, não havia eventos no Auditório Cinemark, portanto nos concentramos apenas em visitar o que nos chamava a atenção.

OS ESTÚDIOS CAPRICHARAM

E logo de cara demos de cara com uma réplica do Tiranossauro Rex, personagem principal da franquia Jurassic Park. Junto a ele, uma réplica do carro de passeio usado no primeiro filme, um ícone do começo dos anos 90 assim como o famoso DeLorean de De Volta para o Futuro representa os anos 80. Impressionante.

Bem em frente a esse estande, ficou o Auditório Cinemark, o principal do evento. Visivelmente a capacidade aumentou nesse ano (em 2016, estava em torno de 3 mil lugares), e a visão majestosa da tela de última geração foi de encher os olhos. Só deu para imaginar como seriam as exibições de pré-estreias de filmes ali (neste ano, a animação da Disney A Vida é Uma Festa foi exibido lá) e os painéis com os artistas… De fato, a Cinemark investiu pesado e construiu ali um dos melhores centros de eventos do país.

Pelo tour que fizemos, descobrimos quais eram os estúdios presentes: a HBO construiu um estande gigantesco para abrigar as exposições e salas temáticas de suas séries, como Game of Thrones e Westworld; a Netflix criou três espaços diferentes para receber seus fãs: a novidade Altered Carbon recebeu uma exposição à parte, enquanto no espaço principal estavam peças de Star Trek Discovery, Stranger Things, o filme de Death Note, entre outros espaços temáticos. A Fox e o Studio Universal também marcaram presença, assim como a Warner Bros. fez um estande com uma exposição de artefatos usados em seus filmes recentes e aqueles que ainda vão estrear, como Jogador n° 1.

UM EVENTO PROMISSOR

Com tudo que pudemos ver na Spoiler Night, com calma e sem correria, sabíamos que seria um evento arrasa-quarteirão. Saímos de lá com a sensação de que realmente seria épico, em todos os sentidos. A ansiedade aumentou muito para os dias que ainda viriam, com os painéis e novidades que seriam apresentadas em todos aqueles espaços.

Mas uma coisa já ficou visível nessa primeira noite em contato com a CCXP 2017: seria inesquecível.

Luiz Henrique Oliveira
Nasceu no interior de São Paulo em 1986 e escreve sobre cinema em blogs desde 2004. Curte drama, comédia e ficção científica, mas ama mesmo O Poderoso Chefão. Tem interesse no mundo geek, em música brasileira e pode ser facilmente confundido com o Chico Bento pelas ruas da capital paulista.