"Alerta PERIGO": uma playlist destruidora de mulheres na indústria da música • MAZE // MTV Brasil
MúsicaPlaylistPosts

“Alerta PERIGO”: uma playlist destruidora de mulheres na indústria da música

Livia Figueiredo464 views

As mulheres estão cada vez mais no comando no mundo da música. Elas estão confiando mais no seu próprio taco, sem medo de arriscar e cometer erros. A liberdade criativa está com tudo e o resultado não podia ser mais satisfatório: as músicas estão mais autorais pelo simples motivo das mulheres estarem se sentindo mais confortáveis para produzir seu próprio discurso. Elas estão cantando sobre o que querem, da forma que consideram mais relevante para mostrar que não estão na indústria para brincadeira.

É nesse contexto que o blog decidiu fazer uma seleção de músicas, mostrando a força do universo feminino. “Alerta PERIGO” é a nova playlist do Maze no Spotify e funciona bem como um retrato dessa mudança de comportamento da mulher na indústria da música. Ao ouvir as músicas, fica bem claro que as mulheres estão mais corajosas (e perigosas!) em diversos sentidos. A playlist é um sinal de que elas estão abrindo o jogo, mostrando suas opiniões sobre diversos assuntos, sem uma preocupação com a opinião alheia. Elas estão cantando palavras que elas realmente acreditam.

A escolha das músicas não foi nada aleatória: a seleção é composta por hits que vão das consagradas Beyoncé, Madonna e Britney Spears, passando pelas rebeldes Avril Lavigne e P!nk, sem deixar de fora nomes mais novinhos mas que estão dando o que falar, como Dua Lipa, Lorde, Ariana Grande e Fifth Harmony. Nos sucessos nacionais você vai encontrar Anitta, Pabblo Vittar, IZA e Manu Gavassi.

A playlist é ótima para extravasar ao som de quem sabe do que está falando. Tem música sobre poder, ambição, conflitos amorosos e muito mais. Então aperta o play e vem curtir essa seleção destruidora com a gente!

Ouça a playlist “Alerta PERIGO” e siga a gente no Spotify:

Livia Figueiredo
Jornalista, contadora de histórias e uma entusiasta da música. Não necessariamente nessa ordem.